Série Designers: Agnès B.

Agnès Troublé nasceu em 1941, em Versalhes, na França. Ela estudou na École Nationale Supérieure des Beaux-Arts em Paris.

agnes trouble_3dc59

Começou sua carreira no mundo fashion como redatora da edição francesa da Elle. Depois de 02 anos resolveu largar o mundo editorial e passou a colaborar como desenhista, buyer e assessora de imprensa para a cadeia de butiques Dorothée Bis.

Entre 1965 e 1966 era colaborada como estilista independente para várias marcas como Limitex, Pierre d’Alby, VdeV e Eversbin. Também em 1966 fundou a Comptoir Mondial de Création, a antecessora de sua marca Agnès B.

Em 1981 passou a desenhar também roupas para homens, depois de ver vários experimentando os seus paletós criados para mulheres.

ed3a7ac4093dca94be4de4e140d853173

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Sua primeira butique foi aberta em 1975, em Paris, no bairro Les Halles e de um jeito muito divertido. Foi aberta em um velho açougue, que ela mesma com a ajuda de seus amigos adaptaram para que se transformasse em sua boutique, com um decor de ambiente rústico e piso de lajotas brancas e pretas. Sua boutique possui também um espaço excêntrico para os filhos de seus clientes brincarem onde um aviário está posicionado sob o teto. :O

Pode-se perceber esse estilo todo diferenciado de Agnès através de seus vários outros “hobbys”…ela é também fotógrafa, produtora de cinema, colecionadora de arte, possui uma empresa de produções cinematográficas,uma revista de arte moderna e uma livraria-galeria de arte.

Logo sua marca se tornou um sucesso e abriu várias outras lojas e em 1981 criou também sua linha masculina. E hoje sua marca conta com mais de 200 lojas espalhadas por todo o mundo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

 

6

Leonardo di Caprio veste as roupas da estilista.

O estilo de sua marca é de peças práticas e de preço acessível, o shape é inspirado em linhas limpas e simples.  Ela gosta de simplesmente desenhar vestidos, sua única preocupação é que as pessoas vistam uma roupa confortável. Agnès não se preocupa em seguir as tendências e criá-las.

Agnes B, Fashion Show, Ready To Wear Collection Fall Winter 2016 in Paris
Agnes B, Fashion Show, Ready To Wear Collection Fall Winter 2016 in Paris

1

5

A estilista se inspira nas pessoas, na originalidade das ruas. Suas roupas são modernas, elegantes, simples e atemporais e com modelagem precisa.

1

 

 

Anúncios

Série Designers: Haider Ackermann

Nascido em 1971, Haider Ackermann é colombiano, de Santa Fé de Bogotá, mas foi adotado por uma família francesa e passou por diversos países até sua família parar, em 1983, na Holanda.

Ackermann trabalhou em 1998 para John Galliano e também como assistente de Wim Neels. Frequentou uma prestigiada Academia de artes na Bélgica, a Royal Academy of Fine Arts de Antuérpia, porém não concluiu seus estudos.

Incentivado pela família e por um amigo lançou sua primeira coleção em 2001. Foi bem sucedida, encantou a mídia, os compradores e também a empresa italiana Ruffo, onde se tornou responsável pelo setor de pesquisa. Já em 2005 Haider passou a desenhar para o grupo belga BVBA 32.

Tilda Swinton era sua musa, mas grandes atrizes já usavam suas criações nos tapetes vermelhos.

tilda-swinton-Haider-Ackermanntilda-swinton-in-ackermann-cannes-oc-kingdom

 

O que define o estilo de Ackermann são seus sensuais drapeados e suas criações complexas em que chiffon, cetim, pele e lã convivem entre si, muito bem aliás ;). Os tecidos se sobrepõem de um modo encantadoramente casual. Suas roupas possuem uma silhueta alongada e andrógina, inspiradas, segundo o designer nas esculturas de Alberto Giacometti.

1

 

6

3

Sua inspiração vem de suas viagens pelo mundo. Haider tem a visão de um mundo sem fronteiras!!

4  25

Ackermann é considerado por alguns como uma visão para o futuro e recebeu de Lagerfeld em 2012 o Fashion Group International Award!!

Definitivamente uma inspiração!!

 

 

 

Série Designers: Ricardo Almeida

Ricardo Almeida, designer brasileiro e olha que legal a sua história…Ricardo era piloto de motovelocidade e procurava patrocínio numa camisaria, quando ao invés de patrocínio conseguiu um emprego como representante de vendas.

3.jpg

Assim ele aprendeu sobre modelagem e passou a dar seus toques nas peças, como trocando as cores das golas e acrescentando detalhes.

O estilista fez suas primeiras peças pensadas para mulheres, mas ficou conhecido pelo guarda-roupa masculino, se consolidando como o maior nome brasileiro da alfaiataria de luxo para homens.

Abriu suas primeiras lojas nos anos 1990 e a partir de 1996 começou a participar de diversas edições do São Paulo Fashion Week.

2

O homem que inspira Ricardo Almeida é o personagem de Richard Gere no filme Uma Linda Mulher, que gosta de elegância, de estar alinhado, de vestir tecidos de luxo, mas sem perder o ar de rebeldia.

Uma das maiores qualidades do seu estilo é ter a capacidade de fazer ternos que deixem homens com medidas comuns longilíneos.

Ele possui, desde 2012, a coleção Ricardo Almeida For Special Ladies ,que cresceu aos poucos e hoje possui espaço cativo nas suas lojas. Além disso, Almeida ainda possui linhas de tênis e sapatos, jeans, peças mais esportivas, ternos prêt-à-porter e um serviço especial para noivos.

Um caso de sucesso da moda brasileira!!!

 

 

 

 

Série Designers: Azzedine Alaïa

Oii!! Hoje começo uma série de posts sobre Fashion Designers. Hoje vou começar com Azzedine Alaïa, um estilista tunisino, que se tornou muito conhecido nos anos 80.

Azzedine Alaïa nasceu em Túnis, na Tunísia, em 1940 e cursou escultura na Academia de Belas Artes. Em 1957 ele se transferiu para Paris. Trabalhou para a Dior por 05 dias (ahaaam!!!).

Iniciou sua carreira com Guy Laroche, onde trabalhou até 1959. Enquanto isso, Azzedine também trabalhava como mordomo e como costureiro pessoal de mulheres nobres.

Alaïa criou uma linha própria e suas clientes o acompanharam, assim como algumas famosas caíram aos encantos de suas roupas de caimento único, como Greta Garbo e Claudette Colbert.

Em 1979 lançou sua primeira linha prêt-à-porter (pronto para usar) e em 1982 desfilou em Nova York, introduzindo no mundo da moda aquela silhueta enfaixada por tecidos stretch, que viria a ser sua marca estilística.

Em 1985 foi reconhecido como melhor designer do ano pelo Oscar da moda. Porém, da segunda metade dos anos 90 Azzedine sumiu um pouco, retornando apenas em 2000, quando passou à colaborar com o Grupo Prada, trazendo de volta suas “deusas enfaixadas”.

Suas coleções atuais são mais sóbrias, com variadas interpretações relacionadas às pregas, utilizando materiais que vão do tricô ao couro.

653

Algumas curiosidades:

  • Azzedine trabalha sobre modelos, ele não usa manequins, gosta de montar a roupa em corpos vivos e em movimento;
  • É mestre absoluto do corte, do drapeado e da construção. Suas roupas são verdadeiros quebra-cabeças, constituídas por diversos moldes de tecidos e uma sequência de montagem extremamente complicada.